Você sabe o que é fibromialgia? Conheça mais sobre a síndrome!

Você sabe o que é fibromialgia? A síndrome, que ganhou mais destaque na mídia em 2017, quando a cantora Lady Gaga cancelou sua participação no festival de música Rock in Rio devido aos sintomas sentidos, afeta mulheres em sua grande maioria e ainda é uma incógnita, uma vez que ninguém sabe dizer quais as causas da doença. Vamos conhecer um pouquinho mais? 

A doença faz com que a pessoa sinta dores por todo o corpo durante longos períodos.

O que é fibromialgia?

Fibromialgia é uma síndrome comum, que faz com que a pessoa sinta dores por todo o corpo, durante períodos longos. Causa também sensibilidade nos músculos, nas articulações, nos tendões e em outros tecidos. Além de causar dor, a fibromialgia pode causar também fadiga, depressão, ansiedade, distúrbios do sono e também dores de cabeça.  

O que chama atenção sobre a síndrome é que, de cada 10 pacientes com fibromialgia, de sete a nove são mulheres. Apesar do número alto, ainda não é possível saber o que ocasiona esse fato. O que se sabe até agora é que não parece haver uma relação entre a síndrome e os hormônios, pois a fibromialgia afeta mulheres tanto antes quanto depois da menopausa.  

A idade mais comum para o aparecimento da síndrome é geralmente entre os 30 e 60 anos. Porém, existem exceções, com casos em pessoas mais velhas e também em crianças e adolescentes.  

Quais são as causas da doença?

Como dissemos ali em cima, ainda não se sabe exatamente as causas da síndrome e nem porque ela aparece predominantemente em mulheres. Ainda assim, existem vários fatores que frequentemente são associados a fibromialgia. Entre eles: 

  • Genética: Questões de genética estão ligadas ao aparecimento da síndrome. Ou seja, se alguém da sua família possui fibromialgia, é bem capaz que você possa desenvolver também. A síndrome é muito recorrente em pessoas da mesma família. 
  • Infecções: Uma das causas envolvidas no aparecimento da síndrome pode ser a aparição de infecções por vírus e doenças autoimunes.  
  • Doenças psicológicas: Ansiedade e depressão também podem estar ligados de alguma forma com a síndrome. Além disso, distúrbios de sono e sedentarismo também podem estar ligados. 
  • Trauma: A síndrome algumas vezes pode ser desencadeada por algum trauma físico. Além disso, o estresse psicológico também pode desencadear a condição. 

Além disso, alguns outros sintomas são bastante comuns, como por exemplo: 

  • Dormência e formigamento nas mãos e nos pés. 
  • Palpitações. 
  • Redução na capacidade de se exercitar. 
É preciso estar atento aos sintomas da fibromialgia

Existem fatores de risco?

Sim! Os médicos constantemente alertam para alguns fatores de risco que podem facilitar o surgimento da fibromialgia. Dentre eles: 

  • Sexo: Como visto, a síndrome é mais comum em mulheres do que em homens. A faixa etária de mulheres afetadas pela fibromialgia é entre 20 e 50 anos.  
  • Histórico familiar: Como a genética pode ser uma causa, é comum que a doença seja recorrente entre membros de uma mesma família. Isso é um indicativo claro de que talvez exista algum fator genético envolvido.  
  • Outros transtornos: Também é comum que pacientes que já tenham algum transtorno como artrite reumatoide ou lúpus tenham mais probabilidade de desenvolverem fibromialgia. 

E quais são os principais pontos de dor da síndrome?

Como visto, o principal sintoma da doença são as dores que o paciente enfrenta. Geralmente se apresentam nestes locais: 

  • Região da coluna cervical  
  • Coluna torácica  
  • Cotovelos 
  • Nádegas 
  • Bacia 
  • Joelhos 

É muito importante notar os pontos de dor, pois podem contribuir para o diagnóstico. 

Os pontos de dores pelo corpo podem ser um bom indicativo da doença

Como é feito o diagnóstico da síndrome?

O diagnóstico da fibromialgia é feito de forma clínica, por meio dos relatos contados pelo paciente e do exame físico. Para o diagnóstico, não existe teste laboratorial. Todavia, o médico pode solicitar exames de sangue para que outras doenças, com sintomas e características parecidos sejam descartadas entre os possíveis diagnósticos.  

Por não ter um teste laboratorial que defina o diagnóstico, é demorado detectar a síndrome.  

E como podemos tratar a fibromialgia?

É preciso saber que o tratamento da síndrome funciona melhor e é mais eficaz quando se alia medicamentos e cuidados pessoais que não necessitam de remédios. A fibromialgia também é uma doença sem cura e o foco do tratamento é evitar a incapacidade física, minimizar os sintomas e melhorar a saúde de modo geral. Com o tratamento certo, é possível ter o controle dos sintomas. Para isso, além do uso dos medicamentos indicados, deve envolver:  

  • Fisioterapia  
  • Exercícios e preparo físico 
  • Alívio de estresse. Deve incluir massagem leve e técnicas de relaxamento 
  • Terapia cognitivo comportamental 

Além disso, é preciso aliar outros tipos de comportamento para que o tratamento tenha ainda mais sucesso. Por exemplo: 

  • Aprender a lidar com pensamentos negativos 
  • Manter um diário com seus sintomas e dores 
  • Ter conhecimento sobre sua rotina e aprender a reconhecer quais são as atitudes que agravam os seus sintomas 
  • Praticar atividades agradáveis  
  • Estabelecer limites 
  • Buscar algum grupo de apoio 
  • Seguir uma dieta balanceada  
  • Evitar cafeína 
  • Manter uma boa rotina de descanso para melhorar a qualidade do sono 
  • Fazer sessões de acupuntura 

Como conviver melhor com a síndrome?

Além de não ter cura, a fibromialgia é uma síndrome de longa duração com picos na intensidade da dor. Porém, ao seguir o tratamento de maneira correta e tomando os cuidados necessários dentro de casa, no dia a dia, os sintomas tendem a melhorar.  Além disso, fazendo tudo certinho, a pessoa com a síndrome não perde sua capacidade funcional.  

Então, o que é preciso fazer para conviver melhor com a síndrome? Existem alguns passos e algumas medidas que você pode tomar durante o tratamento para ter uma melhora e conviver da melhor forma possível com a doença. Olha só: 

  • Tente reduzir ao máximo o estresse diário e tire um tempinho para você, para se acalmar e fazer o que você gosta 
  • Durma o suficiente para estar descansado no dia seguinte  
  • Faça exercícios regularmente  
  • Mantenha um mesmo ritmo de vida 
  • Mantenha um estilo de vida saudável 

Fontes: https://www.minhavida.com.br/saude/temas/fibromialgia

Deixe uma resposta